Saúde passa por 900 casas no Maria Helena em ação inédita de facilitação

0

No sábado (dia 25), ocorreu uma ação inédita empreendida pela Secretaria de Saúde de Barueri por meio da Coordenadoria de Atenção Básica à Saúde (Cabs). Separados em grupos, uma média de 120 servidores percorreram o Jardim Maria Helena realizando um cadastramento de seus moradores, além de fazer um tipo de triagem dos casos que necessitam de atendimento prioritário da Unidade Básica de Saúde (UBS).

Na ocasião foram visitadas 76 ruas do bairro, cobrindo 900 residências. Um carro de som circulou na região desde cedo para alertar os moradores de que um agente de saúde bateria à sua porta. As 62 duplas de servidores conseguiram realizar 2.700 cadastros.

Uma média de 30% das casas visitadas não estavam disponíveis para o cadastro ou seus moradores não quiseram receber os profissionais da saúde. Mas a equipe não vai desistir: essas residências, assim como os dois condomínios existentes na região, serão revisitados em outra ocasião.

“As residências que ainda não  foram visitadas serão  finalizadas esta semana, então daremos início  a divisão dos munícipes  pelas equipes  da UBS para que, por meio da tecnologia, possamos acessar mais facilmente a população, dando continuidade ao cuidado, evitando visitas desnecessárias  à unidade, bem como aglomerações”, pontua a assessora da Cabs, Regiane Bogusiak Vidic.

Encurtar a distância entre a UBS e o usuário é um dos objetivos desse audacioso projeto, além de facilitar essa comunicação, conforme explica Regiane. “A gente quer mapear essa região. Isso vai ser registrado no sistema e de posse disso a gente parte para outra fase do processo, que é tentar fazer esse contato via novas tecnologias, o caminho empregado hoje nesse período de pandemia”, diz.

Fortalecer a linha de cuidado com a população é outro ponto fundamental da iniciativa, como explica o coordenador da Cabs, Claudinei Alves Rodrigues. “Nós vamos ter informação da família, de uma maneira rápida, sem precisar de a gente ir na casa deles ou eles virem até a unidade. A gente chama isso de linha de cuidado. Se você está bem acompanhado e com medicação, está dentro da linha de cuidado, portanto, a possibilidade de complicação é menor”, detalha. Segundo Claudinei, o projeto irá possibilitar que a UBS estabeleça uma maior aproximação de seus usuários, cuidando ainda melhor deles, e também criar uma comunicação mais rápida entre as duas pontas.

O projeto está em fase de experimentação. Conforme a evolução, poderá estender-se a todos os bairros, cobrindo toda a cidade.

#jornalrmsp #cidades #barueri #saude #ubs #mariahelena #coronavirus #covid19

Compartilhar:

Sobre o autor

Deixe um comentário